Ventisol

BLOG

08 SET
COMO USAR O VENTILADOR E AR-CONDICIONADO

Observe sempre manutenção, frequência e intensidade de funcionamento.
Temperatura ideal vai de 20 a 22º C, e vento não deve ficar sobre a pessoa.

Para quem não tem piscina nem mar à disposição para se refrescar no verão, a saída é ficar exposto ao ar-condicionado ou ventilador. Mas é preciso ficar atento à manutenção, à frequência e à intensidade de uso deles para evitar problemas respiratórios. Segundo o otorrinolaringologista e alergista João Ferreira de Melo Júnior, do Hospital das Clínicas em São Paulo, os filtros doar-condicionado – seja de casa, do trabalho ou do carro – devem ser trocados regularmente, de acordo com as orientações do fabricante.


Os aparelhos domésticos, em geral, precisam ser limpos a cada seis meses, dependendo de como e quando são utilizados. "O problema é que muitas pessoas usam pouco o ar-condicionado em casa. A maioria só faz isso durante o verão. Aí ele vai se contaminando, acumulando germes, e o indivíduo acha que está igual à última vez em que foi ligado", destaca Melo Júnior.

Outra dica é não posicionar o vento diretamente para a pessoa e manter a temperatura agradável: entre 20º C e 22º C. "O ideal é deixar o local fresco, como num dia de outono", recomenda a otorrinolaringologista Tanit Sanchez, professora associada da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e presidente do Instituto Ganz Sanchez.

De acordo com ela, ambientes corporativos refrigerados a ponto de o funcionário precisar pôr casaco são contraproducentes. "Muitos pacientes reclamam de choque térmico constante. E,quanto mais potente for o ar, maiores as chances de causar problemas pelo alto resfriamento ou pela expulsão de partículas de sujeira que o filtro havia absorvido", explica Tanit.

No carro
A otorrinolaringologista indica ligar o ar-condicionado mais forte ao entrar no carro e, quando o veículo já estiver refrigerado, diminuir a potência até chegar ao número 1. "O ideal é alternar o ar-condicionado com o da rua, para circular um pouco o vento convencional.  Aí feche o vidro de novo e religue o ar", diz.

Ventilador
O ventilador ideal, segundo Tanit, é aquele que fica na altura do chão e cujo vento pode ser direcionado para cima. "A opção 'exaustor' é menos agressiva, pois muitas vezes fazer o ar circular já é suficiente para diminuir a sensação de calor", afirma. As pás do aparelho também devem ser limpas com frequência, para não jogar a sujeira no ar, destaca o médico Melo Júnior.


Cuidados com a pele 
Segundo a dermatologista Márcia Purceli, do Hospital Israelita Albert Einstein, o frio intenso pode agravar problemas de pele como rosácea (manchas avermelhadas no rosto, desencadeadas também por calor demais), psoríase e dermatite seborreica (a popular caspa, que pode dar nos cabelos e nas sobrancelhas). O vento em excesso também pode causar uma doença chamada paralisia de Bell, que trava os músculos de um dos lados do rosto.


Arte doenças respiratórias (Foto: arte/G1)